sexta-feira, 16 de julho de 2010

Não te rendas, Mario Benedetti está aqui



Não te rendas
, ainda é tempo
De se ter objetivos e começar de novo,
Aceitar tuas sombras,
Enterrar teus medos
Soltar o lastro,
Retomar o vôo.


Não te rendas que a vida é isso,
Continuar a viagem,
Perseguir teus sonhos,
Destravar o tempo,
Correr os escombros
E destapar o céu.


Não te rendas, por favor, não cedas,

Ainda que o frio queime,
Ainda que o medo morda,
Ainda que o sol se esconda,
E o vento se cale,
Ainda existe fogo na tua alma.
Ainda existe vida nos teus sonhos.


Porque a vida é tua e teu também o desejo
Porque o tens querido e porque eu te quero
Porque existe o vinho e o amor, é certo.
Porque não existem feridas que o tempo não cure.
Abrir as portas,
Tirar as trancas,
Abandonar as muralhas que te protegeram,


Viver a vida e aceitar o desafio,
Recuperar o sorriso,
Ensaiar um canto,
Baixar a guarda e estender as mãos
Abrir as asas
E tentar de novo
Celebrar a vida e se apossar dos céus.


Não te rendas, por favor, não cedas,
Ainda que o frio te queime,
Ainda que o medo te morda,
Ainda que o sol ponha e se cale o vento,
Ainda existe fogo na tua alma,
Ainda existe vida nos teus sonhos
Porque cada dia é um novo começo,
Porque esta é a hora e o melhor momento
Porque não estás sozinho, porque eu te amo





Mario Benedetti, poeta e escritor uruguaio, sempre tem palavras para os momentos mais introspectivos , aqueles cujo silêncio parece silenciar toda uma vida, ainda que haja um coração gritante. Gritando por socorro. São palavras sobre amor por um outro alguém, amor pela vida, amor por nós mesmos quando tudo parece perdido.

O poema acima é um canto pelo amor próprio e um dos mais belos legados líricos do escritor que faleceu no ano passado. É um mensagem de incentivo e superação, de companheirismo e paixão e, o melhor, sem ser nada piegas. Mario mantém a sensibilidade da mensagem com a racionalidade de quem precisa se erguer de uma situação ou , pelo menos, não cair de uma vez por todas e ele tem uma estilística muito particular, que conversa com a alma da gente; ele é Benedetti, único e, para sempre o expressivo escritor Latino Americano que conhece magistralmente a condição humana.

O título é de impacto: Não te rendas (título original, No te rindas) faz uma belíssima menção para que o fracasso e a derrota não sejam aceitos, ou melhor dizer: Não se submeta à passividade, seja resiliente em uma situação difícil. O poema clama por uma atitude positiva pois ainda há tempo de reverter medo em coragem, abandono em amor, lágrimas em sorrisos. Existirão fases de dificuldades como os invernos da vida, a escuridão da solidão, mas serão somente fases. A alma cheia de sonhos ainda estará aqui.


4 comentários:

  1. Saudações Poéticas !
    Moacir Reis
    O Menestrel
    www.culturaimpressa.com

    ResponderExcluir
  2. Cristiane: ao buscar a poesia do nosso Benedetti, encontrei o o seu Blog. Parabens

    ResponderExcluir