sábado, 17 de julho de 2010

Para a realidade da vida, palavras mágicas de Grande Sertão Veredas, de João Guimarães Rosa



O mais importante e bonito no mundo é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas elas vão sempre mudando.

O mundo é mágico. As pessoas não morrem, ficam encantadas... Esperar é reconhecer-se incompleto.

O homem nasceu para aprender aprender tanto quanto a vida lhe permita.
(João Guimarães Rosa)


As palavras mágicas de Grande Sertão Veredas, um das obras literárias mais importantes do Brasil são palavras reais de um ser em transformação. Desde que as li pela primeira vez, conclui que ainda não fui terminada; sou um ser incompleto da forma mais otimista que há, e que precisa mudar a cada dia, reagir às mudanças positivamente (e negativamente, porque mudar faz bem e também dói). Porém, se por um lado o prazer pela mudança reacende a magia do viver, por outro reserva uma boa dose de paciência e da angústia da espera, há que transitar entre esses sentimentos extremos, mas conciliáveis para um mundo mais encantado.


Ao longo dessa jornada de aprendizagem no sertão que é a árida vida, não há maior desafio do que o ato de esperar, principalmente esperar de forma ativa, e nem maior ato de autoconhecimento do que se reconhecer incompleto.

Um comentário: